quinta-feira, 12 de setembro de 2013

NÃO ESQUECE A MINHA CALOI



NÃO ESQUECE A MINHA CALOI

O garoto era um sonhador, toda criança na sua idade o era,
mas Júlio era um pouco mais, a mãe achava engraçado sua
maneira de ser, porém severa não aliviava em lhe mostrar a   
verdadeira face da vida ,como o sofrimento e dificuldades da mesma.
Júlio na época de natal vivia a olhar para o céu à espera de um milagre, que era ganhar sua bicicleta, ainda fora da idade em acreditar no bom velhinho, esse dormia e até conversava sozinho com o imaginário Papai Noel, achava que por um encanto ele  ia aparecer.
Aquele ano a família de Júlio foi presenteada com um televisor preto e branco, aí que o garoto aprendeu a viajar mais na vida, pois aquele novo mundo o inspirava a sonhar mais e mais, onde copiava e até criava novos personagens em suas brincadeiras no grande quintal onde vivia a brincar entre os milharais e galinhas com seus pintinhos coloridos. Mas sua bicicleta não saia da cabeça, vivia a pedir para sua mãe, mas ela nunca o iludira em lhe dar uma, pelo contrario dizia que era algo perigoso e que já morreram um dia com uma delas, o garoto nem acreditava num absurdo desses, pois via nas ruas de asfalto de terra as crianças alegres brincando nelas. Naquele mesmo ano chegou a TV colorida e a pavimentação das ruas, o mundo a volta de Júlio mudava drasticamente, e ele também.
O Jeito foi apelar para o pai, mas o pai de Júlio era um tanto calado e distante com os filhos, falava o necessário e quando via algo errado somente olhava para o filho e esse já sabia que estava acontecendo algo errado e se corrigia.
E como de costume mais um  natal  passou em branco,sem festas ou presentes, ele não entendia o porquê tantas crianças com seus brinquedos e ele nunca os tinha, naquela época de festas foi  lançado uma campanha onde incentiva as crianças a espalhar bilhetinhos pela casa toda, foi aí que Júlio usou desse plano com o pai na época do seu aniversário, dessa vez era infalível,não ia dar errado, iria vencer pelo cansaço seu pai.
Sendo assim Júlio fez sua campanha por semanas, e chegou o grande dia, seu aniversário, seu dia especial,Júlio neste dia pulou da cama cedo, correu e olhou debaixo da cama,foi até a área da cozinha ,mas nada , não havia nada, o desespero e desolação tomou conta do garoto, mas um dia infeliz.Quando sua mãe levantou da cama, lhe deu o café da manhã e viu um tanto calado e triste, a mãe o abraçou e lhe deu um feliz aniversário, foi aí que ele contou dos bilhetes que colocou pela casa onde seu pai costumava ir usar, mas pra sua surpresa sua mãe revela que seu pai era analfabeto, não sabia nem ler e escrever.Seu pai como milhões de brasileiros era sem estudo,ganhava um salário mínimo e era explorado com horas extras ,e assim com o passar dos anos Júlio cresceu, foi trabalhar numa loja de brinquedos onde comprou sua tão esperada bicicleta, seu trenzinho elétrico e tudo mais que desejou de criança, quando enjoou passou para frente para uma outra criança  ser feliz na sua tão especial fase de vida.Hoje presenteia seus filhos e festeja juntos os momentos de festas boas na vida esquecendo seu passado melancólico e triste.






Nenhum comentário: