domingo, 4 de junho de 2017

O GATO ALVO E O LENHADOR




O lenhador era de família de excelência , tinha uma esposa prendada e um filho dócil,
na casa de madeira nada faltava em quesito alimentação e conforto; além da paz e harmonia.
Acordava as cinco da manhã o patriarca, a esposa uns minutos antes dele acordar fazia emanar o  cheiro do café e o pão caseiro que preenchia a casa desejos; e assim seguiam uma vida familiar e tranquila.Até que um dia um ser enigmático e misterioso, entra em suas vidas e muda drasticamente toda tranquilidade.
Numa manhã de quinta feira o lenhador Alvaro o Grande ia calmamente a floresta quando encontra um gato branco com os olhos intensamente azuis, a vontade e apreço em obter o gatinho foi automático.O gato sentiu o mesmo, rondou e traçou as pernas do grande e forte lenhador, a atração foi mútua.

Ele logo o pega e coloca no seu sua bolsa de ferramentas, ainda havia um espaço, parece que era feito ao felino; o gato muito a vontade sorri feliz, o lenhador não parava de pensar em chegar em casa e mostrar a nova cria a família. E quando chega a alegria foi geral,afinal não tinham um animal de estimação.

O gato se sentiu o dono do lar, subiu na cama e se meteu em meio as cobertas, comeu feito um bom religioso e encantou a todos.Tudo aparentava  normal, mas apenas quando o lenhador estava em casa,pois na  ausência o gato não comia nem por lei na mão da mulher.E isso causou um desentendimento no casal, um feito que nunca houve.

Enfim,o gato comia, na mão do Lenhador,na mão da mulher nem uma migalha, sendo assim, ia emagrecendo e definhando dia a dia, e a briga do casal ia crescendo.
O lenhador nervoso dizia que a mulher não o alimentava e que porque ele comia quando ele o servia, o filho se assustava com as brigas e o inferno ia crescendo naquela família.

A mulher chorava copiosamente e se desesperava a cada dia, o marido ia ficando cada vez mais estranho, mas através das rezas, entoações e orações da mulher , o seu marido um dia foi iluminado; ele indo de madrugada a trabalhar viu uma conversa na floresta, ele sorrateiramente se espreitou na mata e ouviu a conversa daqueles personagens estranhos.
A conversa era entre três seres e um deles dizia, já estou quase realizando meu intento, o marido matar a esposa e acabar com sua família, e os outros seres riam em gargalhadas pela mal feito.Nisso num estouro e um cheiro de pólvora, os seres se transformaram um em cada ser diferente.
O lenhador calado e esperto captou e entendeu todo intento do maligno, e ao anoitecer tramou um plano em sua mente.
O lenhador chega  em casa ,e em pouco tempo escurece o céu,sendo assim, pediu a mulher que pegasse lenha e montasse um grande fogueira, a mulher obediente fez o que lhe foi pedido; o marido acendeu a fogueira e reuniu a família ao redor. O gato que não era um gato,com um ar faceiro e sorridente pensava que era essa noite que todo mal ia acontecer. Ele iria jogar e queimar a mulher mal obediente.
Quando a fogueira estava no máximo em chamas, o lenhador agarra o gato e joga o ligeiramente na fogueira, uma grande explosão acontece, onde em forma de um corvo preto voa acima da mesma, mas outra explosão acontece, e as penas escuras  voam e em forma de lascas finas que feriam até o mais forte ser , mas caíram ao chão inertes.
Ali já um ser do mal e seus maus intentos; e a boa família unida e em paz viveu novamente.

Nenhum comentário: