sábado, 17 de junho de 2017

O RICO POBRE

O sol estava brilhando como nunca naquela manha de verão,as pessoas desejosas  entravam na lanchonete para degustar da melhor esfiha da região.Quando o pico de  movimento  passou, Ricardo começou a observar os transeuntes com suas roupas coloridas de verão e os belos carros na avenida.
Ricardo não gostava de trabalhar durante o dia, até não raciocinava bem por ser noturno, somente depois da 14:00 horas e que pegava no tranco.Naquele dia deu um fora com uma cliente,um dos maiores de todos em sua vida de comerciante.Uma mulher obesa  entrou e fez seu pedido de esfiha,  quando pediu o refrigerante, Ricardo pergunta se é diet. A  mulher diz em tom alto e claro, N-Ã-O!...é normal.Ricardo não sabia onde enfia a cara, pois na mente dele, por ela ser obesa  deveria tomar um diet, maior alivio quando está vai embora, após ter devorado quatro esfihas, dois salgados e dois refrigerantes.
Após a saída da excelente cliente,  na frente do estabelecimento pra um  carro incomum,de cor preta, quatro portas, vidro fumê.Era a primeira Brasser  que Ricardo via na vida. Dele desce um homem 
com um óculos escuros , de andar firme e duro...Entra na humilde lanchonete, pois lá não tinha luxo algum, senta... Da um seco bom dia, e pergunta por um dos sócios.Sua voz era petulante e afetada.Carregava um micro celular, foi outro aparelho incomum, pois na época todos tinham o celular tijolão, suas correntes eram douradas e bem grossas .Mostrava ser um homem de posses, porém sua presença e jeito incomodou profundamente Ricardo.
Quando este perguntou por um dos sócios, Ricardo disse que ele devia estar comendo camarão na praia, pois era folga dele.Este fez novamente uma feição de afetado.
Ricardo anotou o pedido e de soslaio ficava observando a figuraça, pensou consigo mesmo,esse fulano já foi pobre, pois esse comportamento e de emergente. e até  o final ele vai dar um sinal do que estou analisando.Após  meia hora o bonitão pede a conta, Ricardo soma e lhe entrega.
Nisso o homem olha a conta, vira a cabeça e olha no painel os preços, ai tira do bolso duas notas
todas amassadas. Ricardo nesse momento sente seus olhos brilharem, o sorriso vem naturalmente.
O homem percebe na hora a feição de Ricardo e o que ele estava pensando a respeito da cena.
Nisso foi embora sem graça e nunca mais Ricardo o viu.

Educação vem de berço; quem  foi criado como  rico foi ensinado a ser humilde e não soberbo.    Guarda seu dinheiro corretamente numa carteira.

Nenhum comentário: