segunda-feira, 1 de agosto de 2016

A MULHER QUE SABIA BEIJAR



A mulher que sabia beijar e cantar
Seu beijo cheio de notas precisas...
A boca poética seu álibi perfeito.
As borboletas voam trancafiadas,
os colibris sorvem o néctar na mesa...
E na viagem bocas se beijam,
sem rumo certo ou suspiros.
Voltam a adolescência e a indecência certa!
Viver, beber e voar.

Nenhum comentário: