JARDIM DO AMOR







Não beijarias tua face se não permitisse,
não envolveria o teu corpo num abraço caso não pedisse,

não participaria da tua vida,respiraria o mesmo ar,

pensaria em te amar, se teus olhos não necessitassem.

Mesmo assim partes!...

Quando certo dia olhares para trás,

verás os canteiros onde flores pisaste.

Quando em meio a espinhos,

ferido lembrará dos belos jardins...
Em vão será, pois tuas pisadas foram
do mesmo peso de pequenas pedras,
onde juntas formam um grande seixo,
onde a vida se esvazia aos poucos
sem perceber os porquês?
Tu mesmo poderás se erguer
com as boas lembranças daqueles que um dia abandonaras.
Mas sempre haverá um botão da flor a esperar...
No jardim família – No jardim amizade,
No jardim amor - No jardim fé.
E nesta tua dura caminhada de difícil volta,
De famílias estranhas, de amigos ilusões,
de amores estranhos,
terás chances de voltar e encontrar os verdadeiros amores,
alimentados por lembranças do belo ser que eras,
e com fé voltaras a ser...
brilhando os verídicos sois e as verídicas luas,
sem eclipses ocultos.